January 01

Défice de Processamento Auditivo

EDIÇÃO Nº44 | JANEIRO - FEVEREIRO - MARÇO | 2019

RESUMO 

O objetivo do presente artigo de revisão prende-se com a análise dos apectos neuroanatómicos, desenvolvimentais e funcionais do Défice de Processamento Auditivo (DPA) em crianças. São ainda efectuadas comparações entre o DPA e outras patologias que lhe têm vindo a ser associadas (Perturbação fonológica, Perturbação Específica de Linguagem, Dislexia e Perturbação de Hiperactividade e Defice de Atenção) e discutidos alguns aspectos relacionados com o diagnóstico e intervenção. 

ABSTRACT

The goal this revision study is to analyze neuroanatomical, developmental and functional aspects of Auditory Processing Deficit (APD) in children. Comparisons between APD and other pathologies, which have been associated with it (Phonological Deficit, Specific Language Impairment, Dyslexia and Attention Deficit Hyperactivity Disorder) are also included. In addiction diagnosis and intervention of the disease are discussed. 

Défice de Processamento Auditivo

de Inês Dinis

October 26

A Importância da Coerência entre as Palavras e os Comportamentos

EDIÇÃO Nº43 | OUTUBRO - NOVEMBRO - DEZEMBRO | 2018

BREVE EXCERTO

”A coerência associada à previsibilidade e à constância dos cuidados maternos é uma condição que desde cedo se coloca como fundamental para o desenvolvimento psico-emocional da criança. Uma vinculação segura só é possível se a criança usufruir de uma experiência de confiabilidade, a partir da qual pode depender da resposta ajustada da mãe às suas necessidades, o que lhe vai promover a segurança necessária para explorar o mundo ao seu redor. 

Ao longo da vida a perceção de coerência também é fundamental para o desenvolvimento das relações entre as pessoas, isto é, a segurança de se saber com o que se pode contar da parte do outro. 

A perceção de falta de concordância entre o que é dito e os comportamentos adotados, levam muitas vezes a uma falência da credibilidade e da confiabilidade, com prejuízo para a relação. Um exemplo disso é o caso de pessoas que dizem gostar de outras e serem suas amigas mas nunca estão disponíveis para falar, ouvir, prestar suporte, estar presente ou cumprir com o combinado, pois existem sempre outras prioridades.”

A Importância da Coerência entre as Palavras e os Comportamentos

de Joana Valério

October 26

Revoluções Industriais Inovação e Pessoas

EDIÇÃO Nº43 | OUTUBRO - NOVEMBRO - DEZEMBRO | 2018

BREVE EXCERTO

“O tema das indústrias 4.0 tem cada vez mais honras de primeira página, em entrevistas, conferências, anúncios e programas governamentais de apoio. Assuntos como o impacto da tecnologia e do digital na educação e na I&D, nas start ups e no capital de risco, ou nas smart cities e na internet das coisas constitui, cada vez mais, o assunto do dia. O mesmo acontece com a discussão sobre esta aparentemente nova revolução industrial, iniciadora de um paradigma diferente do da terceira revolução, normalmente atribuída ao início das TIC, nos anos 1970. 

E porque, de cada vez que algo se apresenta como uma verdade insofismável, se torna importante relativizar a tendência e equilibrar a discussão, nada como acentuar o discurso sobre as pessoas, na tentativa de compreensão global do fenómeno da inovação. E é a essa tentativa de equilíbrio que gostaria de dedicar algumas linhas. 

Com efeito e, se bem que todos acentuem a importância do fator humano na inovação, o discurso foge rapidamente para aspetos financeiros, legais e tecnológicos, sem nunca percebermos bem de que se fala quando se trata das pessoas, exceto para realçar as competências necessárias para satisfazer nas novas tecnologias, bem como a obsolescência futura de muitos dos atuais postos de trabalho. Também se mencionava a participação do chamado “chão de fábrica” em iniciativas de caixas de sugestões sofisticadas, ou de processos de melhoria contínua, mas essa foi, também, uma moda que já teve melhores dias, pois sabemos que não é delas que depende a inovação empresarial importante. 

Revoluções Industriais Inovação e Pessoas

de Fernando Cardoso de Sousa

October 26

A psicoterapia que vem nos livros

EDIÇÃO Nº43 | OUTUBRO - NOVEMBRO - DEZEMBRO | 2018

 RESUMO

A utilização da literatura como elemento facilitador em psicoterapia tem várias mais valias e indicações ao longo do processo terapêutico. Este texto é uma reflexão sobre a pertinência da utilização da literatura em contexto psicoterapêutico, assinalando a relação de algumas obras às temáticas que comportam.

Palavras-chaves: 

Psicoterapia, literatura, simbolização, narrativa, Yalom 

 

A psicoterapia que vem nos livros

de Catarina Janeiro

Este site usa cookies, para guardar informação de forma segura no seu computador.

Estes cookies destinam-se a optimizar a sua experiência de navegação neste site.

aceito cookies

Saiba mais acerca dos cookies